Pense nesta situação. Você está fazendo terapia há algum tempo, está sentindo que pode ser o momento de dar uma pausa, não vê mais tanto propósito de ir às consultas ou sente-se muito bem consigo mesmo… E começa a se perguntar: “Quando parar a terapia?”

 

Muita gente me faz essa pergunta: “Dani, quando é a melhor hora de parar a terapia? Como eu sei quando devo ter alta?”.

 

A melhor resposta é: depende!

 

Esta decisão precisa ser feita em conjunto. Escutar seu terapeuta é uma das formas de saber quando poderá seguir sozinho (sem acompanhamento especializado), mas procure prestar atenção no que você está sentindo.

 

Aqui vão sete dicas para você saber o momento certo de parar com a terapia e como tomar essa decisão:

 

1.Preste atenção em seus sentimentos. Veja se realmente está se sentindo emocionalmente bem e em equilíbrio. Procure estar atento a como você reage à algumas situações do seu dia a dia. Anotar o que está pensando ou sentindo pode te ajudar a processar tudo isso e a levar mais detalhes para sua conversa com o terapeuta.

 

2. Você não vê mais necessidade de ir à tantas consultas. É legal você observar duas possibilidades antes de decidir quando parar a terapia: a. você não está mais gostando do estilo do seu terapeuta e gostaria de testar um novo profissional ou nova abordagem ou b. você quer espaçar mais as sessões antes de parar definitivamente, para ver como vai reagir.

 

3.Veja se não está se boicotando. Fazer terapia pode causar alguns incômodos. Acabamos acessando coisas que poderiam estar adormecidas ou confrontar medos e problemas. Pode doer, mas o resultado final vale a pena! Veja se seu inconsciente não está tentando boicotar a sua melhora te fazendo pensar em parar.

 

4.Não pare de uma vez! Como mencionei acima, espaçar as sessões é sempre o melhor caminho antes da alta final. Eu costumo acompanhar meus clientes de terapia a cada dois meses, depois a cada três ou quatro meses… até realmente informar que ele está de alta.

 

5.Não tome essa decisão sozinho! Conversar com seu terapeuta e dividir o que está sentindo é o melhor caminho. Ele certamente vai saber te orientar sobre a melhor hora e a melhor forma de parar. Você também pode ouvir outras pessoas próximas para saber o quanto elas percebem que você progrediu (como seu namorado, mãe, esposa etc.).

 

6.Tempo determinado não existe. Se você chegar em um terapeuta e ele te disser: “você só precisa de cinco consultas para ficar bem”, duvide. Não existe um tempo certo que cada um deve ficar em tratamento. Cada pessoa é de um jeito, tem diferentes dilemas e lida com eles de forma diversa.

 

7.Não tenha vergonha de voltar. A vida é constante e nos prega algumas surpresas… Alguém querido pode partir, você pode ser demitido, uma tristeza que vem de repente… coisas podem acontecer e você deve procurar ajuda a qualquer momento que sentir necessidade, mesmo que já estiver recebido alta. Eu tenho muitos clientes que ficam um ano afastados e voltam para tratarmos coisas pontuais ou mais profundas. É natural da vida.

 

E você, já precisou lidar com isso? Ainda não sabe identificar quando parar a terapia?

Conta pra mim, estou curiosa para ouvir você…

Ou me mande um recadinho aqui.

 

Um beijo carinhoso,

Dani Maniá

Terapeuta especializada em Florais de Bach